Cómo é feita a cirurgia de hérnia de hiato e do refluxo?

hiatoplastia e funduplicatura

No artigo anterior, expliquei que só a minoria dos pacientes com hérnia de hiato precisarão de cirurgia no transcurso das suas vidas. Porém, nos casos de sintomas refratários, hérnia paraesofágica ou complicações, uma correção cirúrgica é necessária.

Em que consiste a cirurgia de hérnia de hiato?

A cirurgia para correção de hérnia de hiato tem evoluído muito nos últimos anos. Atualmente é feita de forma minimamente invasiva (cirurgia laparoscópica ou robótica), o que permite menor dor no pós-operatório, melhor resultado estético e um retorno muito mais rápido às atividades normais da vida diária.

A cirurgia é realizada sob anestesia geral. Isso que dizer que o paciente está completamente dormido e que todos os seus parámetros vitais (pressão arterial, batimentos cardiacos, saturação de oxigênio, etc.) serão controlados e monitorizados pelo médico anestesista.

As técnicas laparoscópica e robótica permitem realizar o procedimento com cortes muito pequenos (5mm -11mm). Através desses orifícios introduzimos uma câmera especial e instrumentos específicos para realizar a cirurgia. (Fig. 1)

Figura 1: Posicionamento dos portais laparoscópicos

A primeira manobra a ser realizada, após a introdução dos instrumentos,  é recuperar a anatomia normal. Isso é realizado liberando as aderências do estômago. Depois ele é colocado de volta do abdômen junto com a parte final do esôfago. Essa manobra é chamada de “redução da hérnia”.

A continuação, são colocados pontos no músculo diafragma (que divide o tórax do abdômen) para diminuir o tamanho do orifício através do qual o órgão estava se deslocando. Esse orifício é o famoso “hiato” e, por tanto, essa parte da cirurgia é conhecida como “hiatoplastia”. (Fig. 2). O objetivo dessa sutura é evitar  que o estômago suba novamente ao tórax.

cirurgia de hérnia de hiato

Figura 2: Fechamento do hiato

Finalmente, é realizado uma procedimento para evitar o refluxo gastroesofágico chamado de valvuloplastia, que consiste em realizar  suturas especiais no estômago, modificando sua configuração, com o objetivo de impedir que o acido gástrico suba ao esôfago.

Figura 3: Confecção da válvula antirrefluxo

O procedimento demora, em média, 90 minutos.  O paciente recebe alta do hospital em menos de 48 horas e durante os seguintes 15 dias deve tomar uma dieta mais líquida. Progressivamente, ele irá aumentando a quantidade e progredindo na consistência dos alimentos até voltar à normalidade.

Tudo o anterior, explico detalhadamente na consulta pré-operatória. Se tiver alguma dúvida, fique à vontade para me escrever nos comentários.  E, se estiver em BH, pode marcar uma consulta comigo clicando na seguinte imagem:

dr jorge vasquez

NOTA: Algum tempo atrás, escrevi um artigo sobre os aspectos mais importantes da hérnia do hiato. Acredito que será uma excelente complementação a essa leitura. Se quiser acessar a ele, é so clicar AQUI.
REFERENCIAS
  1. Rice TW, Blackstone EH. Surgical management of gastroesophageal reflux disease. Gastroenterol Clin North Am. 2008 Dec;37(4):901-19, x.
  2. https://www.optechtcs.com/article/S1522-2942(14)00056-7/fulltext
  3. Katayama, R.C., Herbella, F.A.M., Schlottmann, F. et al. Lessons Learned from the History of Fundoplication. SN Compr. Clin. Med. 2, 775–781 (2020)

Dr. Jorge Vásquez Del Aguila

Cirurgião Geral e Cirurgião do Aparelho Digestivo.

CRM65607 | RQE 35264 | RQE 38167

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *